©2019 Hotel Lund - Lagoa Santa - Minas Gerais  +55 31 3681 4004

Contact

História de

Lagoa Santa

A Famosa

Gruta da Lapinha

A Gruta da Lapinha é uma atração turística da cidade, fica a 48 km da praça 7, em Belo Horizonte e possui linha de ônibus que faz o percurso, Belo Horizonte-Lapinha, diariamente. Está localizada no Parque Estadual do Sumidouro. Compreende um bloco de pedra calcária formado há 600 milhões de anos. Tem 40 metros de profundidade e 511 de extensão. A composição é de barros e resíduos endurecidos do fundo do mar que foram acumulados em camadas sobrepostas. Seu interior apresenta ornamentações formadas de cálcitas cristalizada, e que em suas várias formas dão nomes aos salões: Salão de Entrada, Sala da Catarata, Sala da Couve-flor, Salão da Catedral, Sala das Pirâmides, Canto do Abajur, Sala dos Carneiros E Galeria do Presépio. Além disso a Gruta possui uma grande área verde à sua volta.

Paleontologia

Gruta da Lapinha

A excelência da região calcária considerando o ambiente e o clima permitem a ocupação da região por uma fauna quaternária por volta de 25000 BP. Os animais da megafauna que habitaram a região foram o Megatério ou preguiça gigante, mastodontes, o tigre-dente-de-sabre, o gliptodonte e o toxodonte, entre outros.

O aparecimento desses fósseis atraiu o paleontólogo dinamarquês Peter Wilhelm Lund para desenvolver pesquisas nas grutas calcárias do vale do Rio das Velhas.

Esses achados fósseis descobertos por Lund contribuíram significativamente para os estudos de Charles Darwin sobre a teoria da evolução. A excelência do ambiente cársico para conservação dos fósseis permitiu encontrá-los em boas condições milhares de anos depois do desaparecimento dos animais.

O Homem de Lagoa Santa

Gruta da Lapinha

Ossadas humanas descobertas na região de Lagoa Santa estão desafiando as teorias a respeito da ocupação humana do continente americano por dois motivos. Primeiro porque os fósseis encontrados são bem mais antigos do que as datas estabelecidas por essas teorias para a ocupação da América. Segundo porque o biólogo Walter Alves Neves, da USP, os humanos que habitavam essa região possuíam traços negróides, e não mongolóides do modo como são todos os povos indígenas americanos até então conhecidos.

 

A ossada de uma mulher encontrada na gruta de Lapa Vermelha IV, em Lagoa Santa, ganhou o apelido de Luzia, dado por Walter Neves numa alusão ao fóssil Lucy, fêmea da espécie Australopithecus afarensis achada na Etiópia em 1974 (que tem 3,5 milhões de anos).

Luzia é o mais antigo esqueleto humano já encontrado nas Américas. Ela viveu há 11 500 anos atrás, sendo uma legítima representante do Homem de Lagoa Santa, como ficaram conhecidos pela ciência os humanos que habitaram a região no passado (Neves et al., 2007b).

O maior projeto de pesquisa do Brasil acontece em Pedro Leopoldo e é defendido por Walter Neves. Lagoa Santa por sua vez faz parte deste contexto sendo uma das cidades que se engloba neste projeto, ficando com o mérito da divulgação.